Você está aqui

Quem somos

Somos mulheres camponesas: agricultoras, arrendatárias, meeiras, ribeirinhas, posseiras, bóias-frias, diaristas, parceiras, extrativistas, quebradeiras de coco, pescadoras artesanais, sem terra, assentadas... Mulheres índias, negras, descendentes de europeus. Somos a soma da diversidade do nosso país. Pertencemos à classe trabalhadora, lutamos pela causa feminista e pela transformação da sociedade.

Lutar sempre foi nossa condição. Desta forma, construímos nossos movimentos autônomos de mulheres.

Em nossa trajetória, temos reafirmado a luta das mulheres pela igualdade de direitos e pelo fim de qualquer forma de violência, opressão e exploração praticada contra a mulher e a classe trabalhadora. Dessa forma, nos identificamos pela produção de alimentos saudáveis, pela construção de um projeto de agricultura ecológico e pela luta pela libertação da mulher.

Somos um Movimento de Mulheres Camponesas, organizado em dezoito estados brasileiros. Resistimos no campo às conseqüências econômicas, políticas, sociais e culturais do projeto capitalista e patriarcal que intensifica a exploração de trabalhadoras e trabalhadores, aumentando a violência e a discriminação contra as mulheres.

Há mais de vinte anos construímos um Movimento autônomo, democrático, popular, feminista e de classe, na perspectiva socialista. Nesse período, nos organizamos, lutamos e conquistamos o reconhecimento da profissão de trabalhadora rural, o salário maternidade, a aposentadoria da mulher da roça aos 55 anos, entre outros. Continuamos lutando por saúde de qualidade, pela construção de novas relações sociais e de gênero, por políticas públicas que atendam aos interesses das camponesas e camponeses e pelo fim de todas as formas de violência e opressão.

A luta pela libertação das mulheres é tarefa de todos. Mas acreditamos que nós mulheres, somos as principais responsáveis por esta conquista.

Mística e simbologia do MMC

O nosso Movimento de Mulheres Camponesas é fruto de uma caminhada de luta pela libertação das mulheres que encontra suas raízes na luta popular. Neste sentido podemos afirmar que a Mística do MMC encontra sua razão de ser no desejo de justiça e felicidade que nos anima na luta, no trabalho de base. A terra, a água, o fogo e ar são elementos que dão significados à mística da vida.

A mística nos leva a crer que quando os mulheres e homens se unirem na luta por justiça no Brasil haverá grandes mudanças sociais.

Como mulheres camponesas, lutadoras, militantes e dirigentes de nosso Movimento, na alegria, na confraternização, devemos nos entusiasmar pela vida, pelo feminino, pela natureza.

A mística deverá nos levar a reconstituir uma cultura humana que acolhe, transforme e cuide da vida e que, pouco a pouco vai se cristalizando na nova mulher lutadora.

Assim sendo, trabalharemos uma mística:

  • de valorização e libertação da mulher camponesa;
  • de defesa da classe trabalhadora;
  • que leva o nosso movimento a apaixonar as mulheres pela causa da libertação, centrado no compromisso com a justiça, no compromisso com a vida dos pobres e no compromisso com a organização popular;
  • de luta contra exploração, contra violência, contra discriminação e dominação;
  • que desperta em nós a necessidade de lutar por nossa dignidade e nossos direitos;
  • que cria em nós a necessidade de organização e de autonomia;
  • que combate o machismo e desperta para a necessidade de construção de novas relações de igualdade;
  • que respeita nossa história de luta, nossa diversidade cultural, nossas experiências construídas e nossos símbolos regionais e nacionais.
  • de relação e de defesa da natureza, das sementes, biodiversidade...

Esse conjunto de orientações de nossa mística serão expressados, vivenciados e construídos permanentemente nos diferentes momentos de nossas lutas, atividades e manifestações.

Trabalharemos para que nossa identificação enquanto camponesas militantes do MMC, expresse a Mística que dá origem ao nosso Movimento e nos motiva na continuidade de nossas lutas. A ponto de que quando olharmos para uma mulher camponesa militante de nosso movimento, nela visualizamos o MMC!

A nossa simbologia será expressa na Bandeira do MMC que deverá nos acompanhar em todas as atividades realizadas. A cor lilás, o chapéu de palha e o lenço lilás, que expressam a luta de resistência das mulheres trabalhadoras deverão estar presente em tudo àquilo que nos identifica.

Minga Informativa

Produção: MDA Comunicação Integrada